Ligue-se a nós

Estados Unidos

Boas notícias: Dr. Fauci garante que se aposentará do cargo no Estado quando Biden deixar a presidência

Publicado

no

Com um histórico deplorável com a epidemia de AIDS e a pandemia de COVID-19, o diretor do Instituto de Doenças Infecciosas finalmente anuncia sua aposentadoria.

Dr. Anthony Fauci, principal conselheiro de saúde da Casa Branca e diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID), confirmou que se aposentará no final do mandato do presidente Joe Biden, em 2024.

No entanto, como muitos especulam que Biden não terminará seu mandato, sua aposentadoria pode ocorrer muito mais cedo, e isso foi considerado pelo próprio Fauci em entrevista à Reuters na segunda-feira. “Não anunciei a minha aposentadoria, mas pode ser a qualquer momento“, assegurou. “Eu ainda não sei.”

Fauci, de 81 anos, havia dito no final de novembro de 2021 que “não estava nem remotamente pensando em se aposentar“, mas a situação parece ter mudado substancialmente desde então.

Fauci é diretor do NIAID desde 1984, quando o então presidente republicano Ronald Reagan fez um acordo com os democratas para colocar um especialista não político no Instituto para lidar com a epidemia de HIV. Ele rapidamente se tornou o rosto público do governo na luta contra a AIDS, que foi um desastre.

Durante anos, Fauci reteve o tratamento retroviral de pacientes com AIDS e concentrou todos os recursos do Estado no desenvolvimento de uma vacina contra o vírus que nunca chegou. Depois de anos tentando publicar uma vacina que protegesse as pessoas do HIV, Fauci se afastou e não é mais a face visível dos esforços contra a epidemia.

Finalmente, em 1987, os pesquisadores descobriram que uma droga contra o câncer da década de 1960, a zidovudina, impedia a multiplicação do HIV e ajudava as pessoas com AIDS a viver mais. Também chamado de azidotimidina (AZT), o medicamento tornou-se disponível poucos meses depois de Fauci deixar o centro do cenário.

Mais de 30 anos se passaram antes que ele fosse incentivado a mostrar o rosto novamente, com o surgimento de um novo vírus, a COVID-19. Na tentativa de cooperar com a oposição, o então presidente Donald Trump convocou Fauci para dar coletivas de imprensa juntos discutindo os desdobramentos da pandemia.

Fauci novamente convenceu Trump a colocar todos os seus esforços na produção de uma vacina em vez de drogas, e mais uma vez desencorajou tratamentos com remédios como Ivermectina e Hidroxicloroquina.

Depois que Biden chegou ao poder, Fauci foi apontado como o principal conselheiro de saúde da Casa Branca e parece ter mais poder sobre a questão do que o próprio secretário de Saúde, Xavier Becerra.

Toda uma carreira de lobby para a Big Pharma, e especialmente para os laboratórios que desenvolvem vacinas, foi recompensada com a mais alta posição possível em Saúde Pública nos Estados Unidos, mas em uma idade tão avançada e com um governo desmoronado, parece que vai ser de pouca utilidade.

Estados Unidos

Biden proíbe o uso do Tornado Cash, o aplicativo que permite a transferência de criptomoedas anonimamente

Publicado

no

O Tesouro colocou o aplicativo na lista SDN junto com grupos terroristas, o governo do Irã e da Coreia do Norte e oligarcas russos pela “guerra à evasão fiscal” de Biden.

Na última segunda-feira, o Tesouro dos Estados Unidos realizou uma votação interna depois que o presidente Joe Biden pediu que eles revisassem a legalidade de um aplicativo conhecido como Tornado Cash, que permite que transferências de criptomoedas sejam feitas de forma totalmente anônima entre seus usuários.

A votação foi a favor da proibição de seu uso nos Estados Unidos, e o pedido foi colocado na Lista de Nacionais Especialmente Designados (SDN), onde divide um lugar com organizações terroristas, instituições iranianas e norte-coreanas e empresas estatais russas. Uma decisão bastante exagerada.

O Tornado Cash recebe as criptomoedas que se deseja transferir e mistura as cadeias de blocos de maneira completamente anônima para evitar qualquer tipo de rastreabilidade e, em seguida, deposita para a pessoa que deseja enviar dinheiro.

A partir de agora, quem enviar ou receber dinheiro através do Tornado Cash poderá pegar até 30 anos de prisão, mesmo que os fundos em questão não provenham de fonte ilegal, pois segundo esta determinação “é impossível saber se são fundos legais ou não.

A decisão é controversa. Por um lado, o Tornado Cash é uma das melhores ferramentas para proteger o anonimato online, e impossibilita que o Estado rastreie as transações, permitindo que as pessoas se escondam de qualquer tipo de perseguição. Por outro lado, é amplamente utilizado por criminosos para poder movimentar dinheiro sem ser rastreado pela polícia.

Esse complexo equilíbrio entre o direito à privacidade e a capacidade do Estado de investigar o crime é uma questão que, sem dúvida, requer atenção especial por parte dos legisladores, nos Estados Unidos e no mundo, mas proibir uma ferramenta financeira de coalho não é o caminho.

Além disso, a importância do Tornado Cash cresce quando se leva em conta que no mundo do blockchain todas as transações são públicas, e o sigilo bancário que existe hoje se perde, por exemplo nas transferências que se faz através de um banco.

Se o Estado quiser ver quais transações uma pessoa fez por meio de seu banco, eles precisam de uma ordem judicial e um resumo das contas emitido pela identidade financeira. Em vez disso, com criptomoedas, os livros contábeis podem ser rastreados publicamente por qualquer pessoa.

Em nota, o Office of Foreign Assets Control (OFAC), órgão do Departamento do Tesouro, chamou o Tornado Cash de “uma ameaça significativa à segurança nacional” dos Estados Unidos, e alegou que tem sido usado repetidamente por hackers coreanos para lavar dinheiro de vários roubos milionários.

Esta afirmação é bastante absurda. Qualquer um pode enviar e receber qualquer quantia em dinheiro com este mixer de criptografia, não apenas os grandes cartéis. De acordo com uma análise da Chainalysis, apenas 10,5% do dinheiro transferido no Tornado Cash no ano passado veio de fundos roubados e 17,7% de fundos ou indivíduos sancionados.

Isso significa que os outros 71,8% das transações foram totalmente legais. Também implica que a Casa Branca criminalizou uma empresa que anonimiza fundos e violou os direitos de privacidade de 350 milhões de cidadãos por apenas um pequeno número de transações ilegais.

Continuar Lendo

Estados Unidos

Biden continua com a perseguição política: agora ele ordenou ao FBI que apreendesse o celular de um deputado republicano

Publicado

no

O deputado Scott Perry está sendo investigado pela Casa Branca por recomendar um funcionário a Trump, que acabou planejando a fracassada estratégia para evitar fraudes eleitorais.

Apenas um dia após o Departamento de Justiça (DOJ) realizar uma visita em Mar-A-Lago, propriedade hoteleira de Donald Trump na Flórida, Joe Biden aprofundou sua perseguição aos opositores e ordenou que o FBI investigasse o deputado republicano da Pensilvânia Scott Perry.

O legislador disse na noite desta terça-feira (9) que o FBI confiscou seu celular quando ele estava de férias com a família. “Esta manhã, enquanto viajava com minha família, três agentes do FBI me visitaram na minha casa de férias e apreenderam meu celular”, disse Perry.

A apreensão estaria relacionada à mesma investigação do procurador-geral Merrick Garland, que responde a Biden, que resultou na operação de Trump. Em suma, a Casa Branca está investigando o papel de Trump e outros líderes republicanos nos protestos de 6 de janeiro.

Os olhos de Garland estão em duas pessoas, uma é obviamente Trump e a outra é Jeffrey Clark, um ex-vice-ministro da Justiça, que Trump estava prestes a promove-lo a procurador-geral após o fraude eleitoral, mas que foi impedido por Mike Pence.

Segundo o próprio Clark, foi ele quem traçou um plano maciço para evitar que a eleição fraudulenta fosse certificada, que incluía fazer com que as legislaturas estaduais descredenciassem os representantes do Colégio Eleitoral e, nessa situação, o vice-presidente Mike Pence rejeitasse os resultados na Sessão Conjunta do Congresso em 6 de janeiro.

Mas como é sabido, Pence retirou seu apoio de Trump e aprovou os resultados da votação do Colégio Eleitoral, e as pessoas que estavam protestando do lado de fora do Capitólio entraram no prédio.

Scott Perry, um congressista de cinco mandatos que preside o Freedom Caucus do Partido Republicano, está sendo investigado pela Casa Branca por sua amizade pessoal com Clark. Segundo fontes consultadas pelo FBI, foi o próprio Perry quem recomendou a Trump que nomeasse Clark para o Departamento de Justiça.

De qualquer forma, nem Perry nem Clark nem Trump foram acusados ​​de qualquer crime, nem há um processo aberto no Judiciário investigando essas três pessoas. Tanto a visita em Mar-A-Lago quanto a apreensão do celular do deputado Perry foram ordenadas irregularmente pela Casa Branca e contam com a assinatura de aprovação de dois juízes federais aliados ao Partido Democrata.

Não está claro se há um objetivo específico da investigação dos principais líderes republicanos que ajudaram na campanha pós-eleitoral de Trump, mas o procurador-geral de Biden parece determinado a ir atrás dos principais opositores do atual governo.

Durante meses, Perry esteve no radar do Comitê de 6 de janeiro da Câmara que investiga os distúrbios do Capitólio. Em dezembro passado, o deputado democrata Bennie Thompson, presidente do Comitê, enviou a Perry uma carta solicitando informações sobre seus esforços para ajudar a instalar um funcionário no Departamento de Justiça, referindo-se a Jeffrey Clark. Perry não respondeu, dizendo que não é crime recomendar uma pessoa extremamente qualificada para um cargo público em seu próprio governo.

Continuar Lendo

Economia

Inflação nos Estados Unidos: preços de julho subiram 8,5% em relação ao mesmo mês do ano passado

Publicado

no

O índice de preços registou um aumento mensal de 0,2% no mês de julho, e registou uma variação homóloga semelhante a 1981. No mesmo período, a Reserva Federal promoveu uma subida drástica da taxa de juro de referência.

O Bureau of Labor Statistics dos Estados Unidos informou que o Índice de Preços no Varejo (CPI) registrou um aumento de 0,2% no mês de julho em relação ao mês anterior. Os preços tiveram alta de até 8,5% em relação a julho de 2021, valor semelhante ao registrado em dezembro de 1981.

A variação mensal foi bastante atenuada pela queda nos preços dos combustíveis. Os preços das commodities energéticas caíram 7,6%, o óleo diesel 7,7% e o óleo combustível despencou 11% em julho. Essas foram as reduções mais importantes do mês, e conseguiram compensar os aumentos em todos os demais itens consolidando uma variação de 0,2% para a média geral. Isso se deve a uma grande expansão na liberação de Reservas Estratégicas.

Biden tentou mentir sobre esses números e, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, disse que a inflação nos Estados Unidos chegou a 0%. Isso é mentira, pois na realidade o que aconteceu é que o aumento médio dos preços entre junho e julho foi quase zero (0,2% para ser exato), mas a inflação homóloga, entre julho de 2021 e julho deste ano, a forma mais correta de medir a alta dos preços para descartar a sazonalidade, foi de 8,5%, uma das maiores da história.

Os preços dos alimentos aumentaram 1,1% em julho, com especial incidência nos alimentos destinados ao consumo domiciliar (por oposição a restaurantes ou lojas), que registraram alta de até 1,3% no mês.

A alta dos alimentos foi a maior no mês de julho entre todos os setores pesquisados ​​e, apesar de registrar uma variação quase 10 vezes menor que a dos preços da energia, seu impacto no índice geral foi bem mais importante por ordem de incidência.

Sem considerar os preços classificados como “voláteis”, energia e alimentos, os preços no varejo de julho fecharam com variação de 0,3% em relação a junho. O chamado “núcleo de inflação” ou núcleo de inflação atingiu 5,9% ano-a-ano em relação ao mesmo mês de 2021.

Para este segmento do IPC registou-se uma variação quase idêntica à do mês de Junho (6% interanual), estando ainda a ser registados novos valores semelhantes aos de Agosto de 1982 com a mesma metodologia.

A Reserva Federal liderada por Jerome Powell marcou o mês de julho com uma forte subida da taxa de juro dos títulos federais de curto prazo. A taxa efetiva anual aumentou de 1,21% para 1,68% de acordo com estatísticas do St. Louis Federal Reserve.

A massa monetária ampla da economia (determinada pelo agregado M2) parou de crescer a partir de março, enquanto o aumento da taxa de juros busca estimular a remonetização da economia para combater a inflação.

O estoque de oferta de moeda subiu sistematicamente abaixo dos preços entre janeiro e julho de 2022, juntamente com uma queda na demanda por dólares no mesmo período. 

Continuar Lendo

Trending